17
Wed, Jan
0 New Articles

Presidente da Fiocruz pede apoio aos empresários na FIEC para criar um ecossistema de inovação tecnológica em saúde no Ceará

Sindquímica
Typography

Após visitar nesta sexta-feira 20/11  as obras de instalação da nova unidade da Fundação Osvaldo Cruz no Ceará, no Polo Industrial e Tecnológico da Saúde, localizado no Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), acompanhado do governador do Ceará, Camilo Santana, o presidente da Fiocruz, o cearense Paulo Gadelha, participou de almoço com empresários industriais e lideranças políticas, na sede da FIEC, onde pediu apoio de todos para criar uma sinergia entre as indústrias que formam o Polo e também atrair instituições e empresas inovadoras que são referência no setor da saúde.  O objetivo é estabelecer e fortalecer  um ecossistema de inovação tecnológica em saúde no Ceará. A unidade da Fiocruz no Estado deverá começar a funcionar no segundo semestre de 2016, segundo informou Paulo Gadelha.


O presidente da FIEC, Beto Studart, manifestou alegria em rever o parente Paulo Gadelha e disse que pode contar com o apoio dos empresários industriais na instalação e ampliação do Polo ao lado da Fiocruz. " Fico feliz em ver que o Ceará será aquinhoado com a parceria da Fiocruz, que trará o conhecimento e a sua estrutura dentro de um grande Polo tecnológico e de inovação para ampliar ações de combate e tratamento de endemias", enfatizou.

Paulo Gadelha revelou a necessidade de promover essa revolução na área de saúde no Estado, sobretudo por ser filho daqui, e esclareceu que o papel da Fiocruz é ampliar o acesso da população a tratamentos e medicamentos no Sistema Único de Saúde, além de reforçar sua atuação e desconcentrar investimentos das Regiões Sul e Sudeste . Para isso, de acordo com ele, precisa-se de uma cadeia produtiva e industrial sólida para ampliar e gerar novas vacinas e tratamentos, o que será feito no Polo de Saúde do Eusébio. "  Se não tivermos pesquisa, inovação, desenvolvimento tecnológico, e produção nacional de vacinas e diagnósticos não conseguiremos atender a demanda de promoção à saúde no país", alertou.  O presidente da Fiocruz destacou que tem encontrado apoio e acolhimento nas parcerias com o Governo do Estado, academia e agora com industriais.

O deputado federal e também funcionário concursado da Fiocruz, Odorico Monteiro, afirma que o Polo de Saúde representa a oportunidade que o Ceará tem de participar do conhecimento e do novo paradigma tecnológico. Segundo ele, a importância desse momento na FIEC é chamar a atenção dos empresários para criação no Estado de um ecossistema de inovação tecnológica em saúde. " O protagonismo da FIEC  vai nos impulsionar para que o Polo torne-se um dos mais importantes do mundo.  É necessário que os empresários criem uma sinergia e assumam o polo como um novo espaço de inovação e tecnologia. A unidade no Estado dará a oportunidade ao Brasil em ser o terceiro no mundo, depois dos Estados Unidos e Israel, de produzir vacinas com base vegetal. Além de proporcionar produção de medicamentos para tratamentos personalizados, transformando esses produtos em benefício para humanidade como todo e bom cientista deve desejar", esclarece.

Participaram do almoço a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Nicolle Barbosa, os ex-presidentes da FIEC, Roberto Macedo e Jorge Parente, o presidente do Centro Industrial do Ceará e também associado do Sindquímica, José Dias de Vasconcelos, e o deputado estadual Carlos Matos.

Sobre o Polo de Saúde

O Polo Industrial e Tecnológico da Saúde está sendo instalado em terreno de 55 hectares desapropriado pelo Estado, conforme o decreto nº 29.803, de 15 de julho de 2009. São três empresas âncoras: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia) e Isofarma. A duplicação da CE 010 vai  garantir o acesso até o empreendimento e ligação com o Anel Viário e aos Portos do Mucuripe e do Pecém.

Em 2012, o Governo do Estado desapropriou mais 22 hectares para a área de produção industrial do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos), setor de produção de vacinas e biofármacos da Fiocruz. Os projetos estão sendo preparados para a produção inicial da vacina contra a febre amarela, e, em seguida, da taliglucerase, medicamento para a Doença de Gaucher

Sobre a Fiocruz no Ceará

Com escritório instalado em Fortaleza desde 2009, a Fiocruz Ceará coordenou a implantação do Mestrado Profissional em Saúde da Família com 10 Universidades do Ceará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba.

A unidade da Fiocruz no Ceará definiu como grandes objetivos fortalecer e qualificar a atenção Básica à Saúde e estimular o desenvolvimento do polo industrial, abrangendo as áreas de medicamentos e de equipamentos. Além de desenvolver o setor da saúde do Estado; promover a inovação e a interação entre a academia, os setores público e privado de forma a garantir o desenvolvimento social e avanços tecnológicos e econômicos; incentivar a geração de novos produtos.